segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Flor de lotus.Vida imortal


A flor de lótus é a flor sagrada da Índia. A filosofia oriental considera a flor de lótus como o símbolo da evolução do homem. Compara o corpo humano com o fundo lodoso do lago em que se encontram as raízes desta planta. Enxerga a mente nas suas hastes, e a alma é simbolizada pela flor de pétalas brancas que desabrocham `a luz do sol.

Li uma história muito curiosa na abertura do meu exemplar do Bhagavad Gita. O Bhagavad Gita é um pequeno livro sagrado da Índia, que tem cerca de 5.000 anos. Seu texto narra o diálogo entre dois personagens, Krishna, que representa a encarnação humana da divindade, e Arjuna, que é o homem em busca do autoconhecimento. Este exemplar é antigo, da década de 60, uma edição muito especial, traduzida e comentada pelo professor e filósofo Huberto Rodhen, que herdei do meu pai.

A abertura do livro conta esta surpreendente história sobre duas sementes da flor de lótus que dormiram cerca de 50.000 anos e acordaram na década de 50.

A história destas flores é a seguinte: em 1920, um botânico japonês descobriu no leito seco de um lago na Manchúria um punhado de sementes de lótus, que segundo especialistas tinham aproximadamente 50.000 anos.

Duas destas sementes, em 1950, foram enviadas para os Estados Unidos e tratadas por um botânico americano em um jardim aquático em Washington. As sementes desta planta possuem um envólucro externo muito duro, como a de um côco, que as protege contra qualquer influência exterior.

Uma das faces da semente foi raspada para facilitar a penetração da umidade. Prontas para a germinação, foram colocadas em dois potes de terra e submersas nas águas de um viveiro aquático deste jardim. A expectativa era de que florescecem dentro de três anos, mas cinco meses depois começaram a germinar surpreendendo estudiosos do mundo todo.

Investigações geológicas demostraram que o leito do lago foi drenado em consequência de um levantamento do solo proveniente de uma pressão interna da crosta terrestre, há cerca de 50.000 anos. Nesta movimentação, as sementes foram interradas no fundo do lago onde permaneceram durante todo este tempo.

Esta história nos faz supor a duração ilimitada da vida em estado potencial e transforma a semente da flor de lótus no símbolo da imortalidade.

Om!!!!!

2 comentários:

Marlei Caroli disse...

Adoro histórias assim!
Você tem mais?
Espero te ver muito na semana da Paz.
bjs

Fernanda R. Lima disse...

Que lindo Sylvie!
Vc fez falta ontem.
Bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...