terça-feira, 29 de março de 2011

Vinyasa. A dança da respiração.

Vinyasa é a respiração e o movimento juntos em total sincronia. No Vinyasa a respiração comanda, é ela quem conduz o movimento. E o resultado é o prana, energia vital, fluindo pelo corpo. O prana flui no ritmo da respiração, que deve ser ampla, profunda, fluida e suave, assim como deve ser o movimento do corpo. É uma dança. Essa dança tem o objetivo de aquietar a mente e nos conectar com a energia e vibração do universo. É uma dança cósmica!

Nesta sequência simples fazemos movimentos de flexão e extensão no ritmo da respiração. Estes movimentos promovem a flexibilidade da coluna vertebral. Alongamos toda a parte posterior do corpo com as flexões, e naturalmente expandimos a caixa toráxica nas extensões.

Trabalhamos o equilíbrio do corpo, mantendo pés, pernas e quadris sempre na mesma posição, firmes e estáveis. As pernas firmes e o quadril estável sustentam o movimento do tronco, braços e cabeça.

Através do Vinyasa nos concentramos mais na respiração, praticando a respiração consciente, que é a respiração completa do Yoga, Prana Krya (procure postagem no blog).

Este Vinyasa é um exercício de concentração, exigindo uma mente atenta, presente. Se a atenção se dispersa nos desconectamos do ritmo da respiração e consequentemente do fluxo de prana. Por isso, a mente deve estar no momento presente.

Quando estiver praticando esta sequência deixe que a Shakti, energia essencial, se manifeste colocando leveza, graça e suavidade nesta dança cósmica, que é única e individual.

Vamos lá!

Comece em Tadasana Samasthithi, postura da montanha, mantendo-se firme e ereto na posição. Os pés devem estar firmes e o peso do corpo distribuído de uma maneira uniforme no chão. Os pés podem estar unidos ou afastados na largura do quadril. O importante é manter os pés paralelos, as pernas bem firmes com as patelas dos joelhos ativas e coxas contraídas. Acione Mula Bhanda (contração dos esfícteres), Uddiyana Bandha (contração do abdome para dentro e para cima), alongue a coluna e abra o peito. As mãos em Anjali Mudrá, posição de prece. Observe o corpo e a respiração. Para mais detalhes sobre o alinhamento desta postura veja Tadasana no blog.

Na sua próxima inspiração, mantenha o alinhamento da postura anterior e eleve os braços lateralmente, unindo as mãos e enchendo o peito de ar em Urdhva Hastasana......

ao expirar faça um movimento de extensão mantendo o quadril estável, abrindo o peito e levando os braços para trás. Este movimento acontece naturalmente sem forçar a sua lombar, concentre-se na abertura do externo....

ao inspirar volte os braços elevados, mantendo aos mãos unidas....

ao expirar desça o tronco e os braços em Uttanasana relaxando a cabeça e os ombros....

na próxima inspiração eleve parcialmente o tronco, alongue a coluna e olhe para frente em Ardha Uttanasana. Se não alcançar o chão com as mãos, segure nos tornozelos.

Ao expirar solte o tronco novamente em Uttanasana....

na próxima inspiração eleve o tronco, eleve os braços lateralmente....

ao expirar desça os braços com as mãos unidas em Anjali Mudrá. Faça uma breve pausa observando o corpo e a respiração. Faça quatro ciclos completos e permaneça nesta posição por alguns instantes procurando a imobilidade do corpo. Aquiete-se.

Namastê!

(Imagem Catherine Ferraz)

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...