domingo, 30 de outubro de 2011

Sequência para harmonizar os Chakras.

Esta é uma sequência simples e de fácil execução que ativa e harmoniza os Chakras. São basicamente movimentos e posturas de flexão e extensão da coluna vertebral. Promove flexibilidade `a coluna, fortalece a musculatura de pernas e braços, tonifica todo o corpo. A sequência trabalha a consciência da respiração, sincronizada com o movimento do corpo. Trabalha também concentração e equilíbrio.

Através da sequência de asanas (posturas), da respiração consciente durante toda a prática, e o mais importante manter a mente concentrada (dharana), ativamos os chakras.

O resultado é sentir-se mais equilibrado, revigorado e bem disposto. Vamos lá!


Iniciamos em Vajrasana (postura do diamante ou raio). Sente-se sobre os calcanhares e coloque as mãos em posição de prece, Anjali Mudra. Observe o corpo e a respiração. Conecte-se com o momento presente. Aquiete-se.


Apoie as mãos sobre as coxas, alongue a coluna e tome consciência dos sete chakras. Percorra mentalmente os chakras desde o Muladhara (chakra da base) , até o Sahasrara (chakra da coroa). Neste momento concentre-se no local de cada um dos chakras e nas suas respectivas cores. Faça 10 respirações completas, Prana Krya, fazendo da respiração um ato mais consciente.


Entre em Balasana, postura da criança. Estenda os braços, apoiando as mãos firmes no chão, soltando a cabeça, e apoiando a testa. Faça 5 respirações completas.


Posicione-se em Biladasana, postura do gato. Mantenha a coluna paralela ao chão. A distância entre as mãos é proporcional a largura dos ombros e mantenha uma linha dos ombros aos punhos. As mãos devem estar bem apoiadas, toda a palma em contato com o chão e não esqueça que os dedos devem estar bem afastados. A distância entre os joelhos é proporcional a largura do quadril e mantenha uma linha do quadril aos joelhos. Distribua o peso entre mãos e joelhos.


Inicie movimentos com a coluna para cima e para baixo. Ao inspirar flexione a coluna para baixo...


ao expirar flexione a coluna para cima, encolha o abdome e solte a cabeça. Faça este movimento 5 vezes ou mais. Vamos dando mais mobilidade a coluna. O movimento deve ser suave e fluido, no ritmo da respiração.


Retorne a posição inicial, mantendo a coluna paralela ao chão.


Agora vamos acrescentar ao movimento da coluna o movimento das pernas. Ao inspirar flexione a coluna para baixo, suba a cabeça e eleve a perna direita...


ao expirar flexione a coluna para cima e aproxime a testa do joelho. Faça este movimento 5 vezes com cada perna.


Volte a posição inicial.


Estenda a perna direita no chão. Prepare-se para uma postura de equilíbrio.


Eleve a perna direita e o braço esquerdo. Permaneça por 3 respirações ou mais. Respeite o seu limite.


Flexione o joelho direito, leve o braço esquerdo para trás e segure o pé. Permaneça por 3 respirações ou mais. Se você é iniciante apenas flexione o joelho e mantenha as mãos no chão. Respeite o seu limite. Durante a permanência concentre-se nos sete chakras e sinta a energia fluir.


Permaneça em Balasana por alguns instantes compensando a coluna da postura anterior. Observe o corpo e a respiração. Faça estes movimentos e posturas coma perna esquerda.


Posicione-se novamente em Vajrasana (postura do diamante ou raio).


Eleve os braços entrelaçando os dedos das mãos.


Flexione o cotovelo direito e com a ajuda da mão esquerda puxe o cotovelo para o centro da coluna, alongue-se.


Una as mãos nas costas, posicionando os braços de Gomukhasana (postura da cara de vaca). Mantenha por 3 respirações. Faça o mesmo para o outro lado.


Vamos agora construir a postura do camelo, Ustrasana. Esta postura pode ser executada em 3 etapas. Na primeira permaneça sentado sobre os calcanhares, apoie as mãos no chão, mantendo uma linha reta dos ombros até os punhos. Abra o peito, gire os ombros para trás e mantenha o olhar para cima. Permaneça por 3 respirações.


Numa segunda etapa eleve o quadril empurrando o osso púbico para frente, sempre com a intenção de abrir o peito. Permaneça por 3 respirações ou mais. Observe, sinta o corpo na posição. Durante a permanência alinhe mentalmente os chakras.


Numa terceira etapa construa a postura completa apoiando as mãos nos calcanhares. Permaneça por 3 respirações ou mais. Esta postura deve ser feita somente para quem já é praticante há algum tempo e que não tem problema algum na coluna. Caso contrário faça as posturas anteriores. Durante a permanência concentre-se nos sete chakras, principalmente no Anahata (chakra do plexo cardíaco) e no Manipura (chakra do plexo solar).


Posicione-se em Balasana novamente compensando a coluna da postura anterior. Observe o corpo e relaxe por alguns instantes.


Retorne a posição inicial Vajrasana. Relaxe na posição mantendo a coluna ereta. Deixe a respiração fluir naturalmente. Agora feche os olhos e apenas observe. Repita mentalmente ou em voz por algumas vezes os bija mantras dos respectivos chakras concentrando-se em cada um deles...Lan, Van, Ram, Yam, Hum, Sham, Om... sinta a vibração do som.


Ao final, faça um breve agradecimento por este momento.

Namastê!

Imagens Marina Fontoura

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Os sete Chakras.


Yoga num sentido mais profundo é despertar Kundalini. Kundalini é energia em potencial adormecida em nós, e que, quando despertada revela a possibilidade de um encontro com a consciência. Esta energia em potencial está latente nos chakras (centros de energia), que estão no nosso corpo sutil (corpo de energia) localizados ao longo da coluna vertebral. Chakras significa rodas ou energia que se move em círculos. O que ativa e faz os chakras se moverem é a energia Kundalini.

A energia Kundalini é despertada através da prática de asanas (posturas), pranayama (respiração), dharana (concentração), mantras e essencialmente de dhyana (meditação).

O objetivo do Yoga é acordar a Kundalini que está adormecida no primeiro chakra, Muladhara, e fazer com que ela percorra todos os chakras até o sétimo, Sahasrara, no topo da cabeça, atingindo assim a consciência. Para que isso ocorra é preciso harmonizar, equilibrar os chakras.

Existem sete principais chakras. Cada chakra tem suas características, é associado a um dos sistemas do corpo, a um dos elementos da natureza, a um dos cinco sentidos, a um bija mantra (mantra semente) e a uma cor. São eles:

Muladhara - é o chakra da base ou raiz. Localizado na base da coluna, períneo, glándulas supra-renais, sistema excretório. Associado ao elemento terra e ao sentido do olfato. Relacionado `as nossas necessidades mais básicas como a saúde e o instinto de sobrevivência. Envolve estabilidade e segurança. Sua cor é o vermelho. O bija mantra é o Lan.

Svadhistana - é o chakra da sexualidade. Localizado na região genital, gônadas sexuais, sistema reprodutivo. Associado ao elemento água e ao sentido do paladar. Relacionado `a criatividade, desejo e a sexualidade. Sua cor é a laranja. O bija mantra é o Van.

Manipura - é o chakra do poder pessoal. Localizado na região do plexo solar (região do umbigo), pâncreas, fígado, sistema digestivo. Associado ao elemento fogo e ao sentido da visão. Relacionado `a nossa objetividade, escolhas, ação, vitalidade e poder. Sua cor é o amarelo. O bija mantra é o Ram.

Anahata - é o chakra do coração. Localizado no centro do peito, no plexo cardíaco, timo, sistema circulatório. Associado ao elemento ar e ao sentido do tato. Este chakra envolve equilíbrio e harmonia. Relacionado ao amor incondicional, compaixão e aceitação. Sua cor é o verde ou rosa. O bija mantra é o Yam.

Vishuda - é o chakra da comunicação. Localizado na garganta, pescoço, glándulas tiróide e paratiróide, sistema respiratório. Associado ao elemento espaço e ao sentido da audição. Relacionado `a purificação, tendo a comunicação como foco, utilizando mantra e a vibração do som como ferramenta. Associado ao ouvir e ser ouvido, a verdade, a expressão criativa. Sua cor é a azul celeste. O bija mantra é o Ham.

Ajna - é o chakra da intuição. Localizado no terceiro olho, entre as sobrancelhas, glândula pituitária, sistema nervoso autônomo. Relacionado `a percepção, visão, clareza e ao sexto sentido. Sua cor é o azul índigo. O bija mantra é o Sham.

Sahasrara - é o chakra da coroa, da consciência. Localizado no topo da cabeça, córtex cerebral, glândula pineal, sistema nervoso central. É associado `a luz. Relacionado ao conhecimento, entendimento, integração, espiritualidade, Samadhy. Sua cor é o lilás ou branco. O bija matra é o Om.


Lan, Van, Ram, Yam, Hum, Sham, Om.


Referências Bibliográficas: 1- FRAWLEY, D. Yoga e Ayurveda. United States of America: Parvati markus, 1999. 2- KHALSA. G.D & O' KEEFFE. D. Kundalini Yoga. New York: gaia books limited, 2002. 3- DE LUCA. M & BARROS. L. Ayurveda. Cultura do Bem Viver. São Paulo: Editora Cultura Ltda, 2007. 4- SVOBODA, R. Prakriti Your Ayrvedic Constitution. Delhi: Montilal Banarsidass Publishers, 2005.

domingo, 9 de outubro de 2011

Chakras, Kundalini e a Natureza.


O Yoga está sempre trabalhando com a energia. Ora ativando, direcionando, concentrando, buscando sempre o seu equilíbrio. Para entendermos mais profundamente esta energia do Yoga, falar um pouco sobre Chakras e Kundalini nos abre um caminho maior para a compreensão de nós mesmos e da nossa integração com a energia da Natureza.

Quando nos referimos aos Chakras e a Kundalini estamos falando desta energia do Yoga. Chakras significa rodas de energia que se movem em círculos. Para ativarmos os Chakras é necessário muito mais energia do que aquela que mantêm o nosso corpo físico com as funções vitais, é avançar mais. Os Chakras são partes de uma energia superior que vai além da energia do plano do corpo físico. Os Chakras dizem respeito ao nosso corpo de energia ou corpo sutil.

O corpo sutil é o nosso corpo energético, é aquela energia que nos mantêm vivos, que chamamos de prana, ou energia vital. Sentimos a energia do prana no corpo quando há aquela vibração que vem de dentro para fora que nos faz sentir com vitalidade. O prana tem origem na natureza.

Para que a energia dos Chakras comecem a se mover é preciso a Kundalini. É preciso prana para despertar a Kundalini. Kundalini é o prana na sua essência. Kundalini é energia potencial adormecida em nós, e que quando despertada revela a possibilidade de um encontro com a consciência. Diz-se que Yoga num sentido mais profundo é acordar a Kundalini.

Despertar a Kundalini é abrir um caminho de união, de integração com as forças do Universo, que se manifestam na Natureza e consequentemente em nós, que somos partes da Natureza. Podemos perceber que não se trata de força física, e nem da ação do nosso ego. Para despertá-la é preciso se aquietar, manter a mente focada, sem as emoções do ego, para que a energia Kundalini possa se concentrar.

Despertar a Kundalini é direcionar esta energia concentrada ou prana (energia vital) ao longo de um canal central, chamado sushuma, ao longo da coluna vertebral. A intenção é fazer com que a Kundalini que está concentrada no primeiro chakra, localizado na base da coluna, percorra sushuma, canal ao longo da coluna, ative todos os Chakras, e alcance o último e sétimo Chakra, localizado no topo da cabeça; promovendo assim este encontro com a consciência, com esta força maior, com o Divino, com a Mãe Natureza. Podemos dar vários nomes para exprimir esta conexão maior, não há um nome específico, cada um chama do jeito que achar mais natural, que faça mais sentido.

Despertar a Kundalini e ativar os 7 chakras é o objetivo do Hatha Yoga.

Os Chakras estão intimamente ligados aos elementos da Natureza.

A Natureza é energia.

A energia da Natureza é infinita.

Isto é Yoga.

domingo, 2 de outubro de 2011

Lençóis Maranhenses. Um lugar de pura Natureza.

Para poder desfrutar de uma prática de Yoga neste lugar simplesmente mágico...

há um longo caminho. São 7 horas de São Luis, quase 40 km nesta estrada de areia, uma verdadeira aventura...

no meio do nada uma pequena propriedade...

muito simples, rústica mas com um encanto...

Manuela mora neste lugar a vida toda e nunca saiu daí... porém, uma das poucas mobílias da casa é a sua TV, ela está ligada assistindo o mundo. Quando pedi para tirar uma foto sua arrumou o cabelo e olhou para mim. Essa simplicidade me emocionou...

No meio do caminho travessias, só com um 4x4...

É só atravessar o rio e chegar em Santo Amaro, porta de entrada para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

Este é o rio Alegre que presenteia o pequeno município de Santo Amaro...

Um rio muito tranquilo, assim como toda a atmosfera do lugar...

Bebida local. Doce, doce.

Cenas do cotidiano...

As crianças simplesmente brincam...

Este rio é irresistível em vários momentos alegres do dia...

Cenas de um paraíso, de presente só para você... momento de gratidão!

Tão perfeito que parece até animação...

Lagoas formadas de água da chuva, seu gosto é de água mineral...

O movimento da natureza cria e transforma...

A energia do sol, Ha...

A energia da lua, Tha

Ao entardecer quando sol e lua se encontram e se despendem...

Visual que brinca com as cores da natureza...

Terra, água, fogo, ar e espaço...integração.

Do deserto quando se avista um oásis...

Mantendo a sobrevivência...

Momentos de tranquilidade e paz...

O gado se refresca e aproveita estes brotos mais verdes...

Terra + água + fogo + ar + espaço = Um lugar de pura Natureza.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...