segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Kriya Yoga de Patanjali



tapas svadhyaya isvara pranidhana kriya yoga (sutra 2.1)

Este é o primeiro verso ou sutra, do segundo capítulo, chamado Sadhana Pada, do Yoga Sutra de Patanjali. O Yoga Sutra é um tratado sobre filosofia da Yoga.  Patanjali é considerado o pai da Yoga; e neste segundo capítulo nos ensina como praticar o Yoga

Sadhana quer dizer praticar, realizar, e esta prática não se refere a simples repetição mecânica do Yoga ou fazer um mero exercício, mas sim uma jornada, um caminho rumo a sabedoria. Na sadhana, como parte deste processo há sempre reflexão, que faz a gente pensar sobre estes ensinamentos e aos poucos incorporá-los na nossa vida.

Este primeiro verso, sutra, nos diz que a prática intensa (tapas), o auto-estudo (svadhyaya) e a entrega nas mãos de Deus constituem kriya yoga. Yoga quer dizer união, e kriya é ação consciente, de auto purificação. 

Tapas é ter diciplina, disposicão para a praticar Yoga. `As vezes estamos com corpomente cansados devido `as pressões do dia a dia e devemos sempre respeitar os nossos limites, mas com tapas mantemos a nossa prática intensa e constante.

Svadhyaya é estar sempre se auto observando. Observar o corpo quando pratica os asanas, que são as posturas do Yoga, observar a respiração, observar o seu comportamento e  também a psicodinâmica da sua mente. O auto-estudo faz a gente se conhecer melhor, enxergar as nossas dificuldades e virtudes nos trazendo com o tempo mais auto domínio e consequentemente mais tranquilidade.

Isvara Pranidhana é fazer tudo da melhor forma e entregar nas mãos de Deus. É acreditar nesta força maior, é o espírito de devoção.

Como vemos, o Yoga de Patanjali é um caminho triplo. Para alcançarmos este estado de união, de Yoga, onde nos sentimos integrados e em paz conosco e com o mundo, o caminho é praticar sempre, com disposição, ter força de vontade, e neste processo ir se conhecendo cada vez mais, dar o melhor e entregar as suas ações nas mãos de Deus.  

Reflita sobre estes conceitos e procure aplicá-los em várias áreas da sua vida. Isto é Yoga. 

Namastê.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Estabilidade + Conforto = Asana

Estabilidade e conforto, condição essencial para qualquer postura de Yoga. Quem afirma isso é Patanjali no seu Yoga Sutra, considerado a base filosófica fundamental do Yoga clássico. "Sthira sukham asanam" (sutra 2.46).  Este sutra nos ensina que a permanência no asana deve ser cômoda, tranquila, suave, relaxante e ao mesmo tempo firme, sólida e forte. Asana deve ter a dupla qualidade de relaxamento e atenção. 

Como obtemos estas duas qualidades ao mesmo tempo? Estas qualidades podem ser obtidas quando passamos a observar mais as sensações do corpo, observando a respiração durante as posturas;  assim vamos reconhecendo as reações do nosso corpo quando praticamos asanas. Uma vez conhecendo  mais o corpo, as reações podem ser controladas e o desconforto vai desaparecendo, e a permanência no asana vai se tornando cada vez mais estável e confortável. Neste processo a mente vai estar completamente envolvida, concentrada, sem estímulos do mundo exterior e naturalmente meditamos no asana. No estágio final o corpo é sentido como pura sensação, vibração, conexão com o infinito. 

Com a intensão de chamar a atenção para estas duas qualidades, sugiro uma prática que pela sua própria natureza vai nos permitir explorar as qualidades de estabilidade e conforto no asana. Para isso, é fundamental respeitar os seus limites. Vamos lá!



1- Inicie em Sukasana, procurando uma posição confortável com as pernas cruzadas e as mãos em prece. Conecte-se com o corpo e a respiração.


2- Flexione o corpo em Yoga Mudra e relaxe na posição. Permaneça por 10 respirações.


3- Entre na postura da criança, Balasana, permanecendo por 10 respirações. Esta é uma posição bastante relaxante e confortável.


4- Apoie os antebraços e mãos no solo e solte completamente a cabeça. Permaneça por 10 respirações.


5- Eleve os quadris, mantendo-os alinhados com o joelhos e passe o braço direito estendido por baixo do tronco, apoiando a cabeça no chão. Permaneça por 10 respirações. Faça o mesmo para o outro lado.


6- Posicione-se em Anahatasana, postura do coração, mantendo o alinhamento quadris e joelhos, alongue os braços, solte bem a cabeça e deixe a caixa toráxica se alongar. Permaneça por 10 respirações. Relaxe a cada expiração.


7- Traga o joelho esquerdo a frente, estenda a perna de trás e relaxe o tronco, braços e cabeça. Permaneça por 10 respirações.


8- Num movimento de inspiração, eleve o tronco, em Eka Pada Rajakapotasana. Mantenha a posição por alguns instantes, sentindo o seu corpo. Faça o mesmo para o outro lado, começando pela postura anteriores 6 e 7.


9- Para compensar a postura anterior, vamos flexionar o corpo em Janusirsasana, relaxar na posição por 10 respirações.


10- Relaxe o corpo em Shavasana e observe as sensações. Faça 10 respirações completas, profundas e suaves.


11- Flexione o joelho direito aproximando-o do peito em Apanasana...


12- Flexione o joelho esquerdo apoiando-o pé no chão. Entrelace as mãos atrás do joelho direito...


13- Aproxime a perna direita do tronco suavemente, respeitando os seus limites... mantenha a posição por alguns instantes com a respiração fluida.


14- Relaxe em Shavasana observando as sensações do corpo. Faça a mesma sequência com a outra perna. (11-12-13)


15- Estenda os braços no solo na altura dos ombros, flexione o joelho direito apoiando-o sob o joelho esquerdo...


16- Faça uma torção para o lado esquerdo. Verifique se a coluna está no centro do "mat". Permaneça por 10 respirações.


17- Se for possível e confortável, estenda a perna direita e segure o seu pé em Parivrtta Supta Padangustasana.


18- Flexione o joelho direito apoiando-o no joelho esquerdo e mantenha a mão esquerda no joelho; e flexione o joelho esquerdo, mantendo a mão direita no pé esquerdo. Vire a cabeça para o lado direito. Permaneça por algumas respirações. Desfaça a posição e faça para o outro lado a partir da figura 14.


19- Agora e o momento de relaxar com as "pernas para o ar". Permaneça por 5 minutos em Viparita Karani.


20- Shavasana por 10 minutos. 


21- Namastê!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...